What's new?

2386_66598772925_9749_n

English

tattva-logo-1024x322preto

Just like I spoke about the Boom of Electronic Music , we see that e-music is breaking more and more barriers spreading to the entire world. There are persons that have a more collective instinct, and for that they try to do always more, looking solutions for the problems and always looking for a greater good. Octavio Rojas, better known as Forza is one of those persons, he was considered the best DJ of Techno in Mexico, and is responsible of Tattva Music Label, he is always trying to expand his music and try to narrow the distance between the vastest gamma of countries, always with the intention of positive contribuition of electronic music evolution.

Mexico-flag183341_10150193518597926_7407989_n2

 

Interview:

 

forza-bestHow was the beginning of your career? Did you have support from family and friends? What were the biggest difficulties?

R: All started when I started to listen and like electronic music, when I was 19 years old. I went to all the raves and clubs that I could, and I started to have an insight of the importance this had in my life, of the meaning of music, until I decided to become a DJ. The start was the hardest, I left the security of a good job for this dream, and my family was worried about that. In the start I didn’t have any support and I didn’t ask for the support of my parents either, because I thought that this was something I should do by myself. But when they realized that I was having fruits on my new job and that I was really trying hard things changed.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


2386_66598772925_9749_n

Which were your major influences your early music life? which artists and styles?

R: I grew up with the music of Depeche ModeKraftwerkPink Floyd, the BeatlesLed Zeppelin, The Cure, all this was what my family heard and were my first musical influences in life. Since I was a child I always liked the electronic style very much, New Order was one of them, I also love videogame music, I still think that Nobuo Uematsu , the composer of the music of FInal Fantasy, one of my major influences in life.

 

 

Would you remember which was your best presentation? What happens in your head when you see all the crowd vibrating with your music?  

R: Certainly Universo Paralelo, I get the goosebumps just by remembering.

 

2386_66598972925_7760_n

If you would choose your best production in your opinion what would it be?
R: Even though I made it a long time ago, and the fact that actually I’m producing another style, my track Me Encanta Dios is the one which had the biggest response from the public, they like it a lot and they still remember it, I made it in year 2004 and there still people who asks for me to play it.

Do you play any instrument? 

R: Piano

Something curious you remember? 

R: Wow, well several, one of the coolest things that happened to me was when I went to play to the state of Pará, people there is very fond of Fullon Psychedelic (High BPM – Full On) I came and started playing Techno and Tech house, it took me two hours to make people dance and the dancefloor exlode. After that people came and told me, dude! I don’t like techno but I liked your work, congratulations! The next year I played there again people now enjoyed these styles and they told me dude! you opened our minds with your work, musically speaking that is priceless!

If you could choose to work with some one who would be?

R: BTDepeche ModeLila DownsNobuo UematsuSimon Posford

What do you listen after hours and hours of electronic music?  

R: I love Reggae, the sounds of Cultura ProféticaNatiruts,I also like  Ska, the work of Ska-p is very good! I ejoy very much music from India, Yoga musicRussill Paul e Snatam Kaur, are some of the artists I enjoy in this line.

Mention an artist that you admire profoundly as a person and as an artist too.

R: I’m a fan of the work of Lila Downs, she is not an  e-music producer, but she is one of the new Mexican singers that is making success. There is a lot of people in the entire world becoming interested in Mexican culture for the cause of her music, and also by her life history. Lila is the daugther of a Zapotec Indian mother and an American father, someone who grew between two worlds so different between them, and yet she has teh ability to express them very well in their music with her unique insight, and makes you think, She is one with whom I would love to work certainly.

Some DJ / Producer that you would recommend for us to listen? 

R: Diaztech is making great music check it out!

What do you think about society’s prejuice against electronic music scene? What could be done to improve this situation?  

 

253840_10150322448427926_5904472_n R: I think that society has always been and will always be biased, unfortunately it’s part of our human condition. When somebody believes strongly in something, he/she will look for everything that will reinforce those beliefs. If people don’t behave at parties, don’t take care of nature, of their bodies and minds, if parties’ security isn’t good, if the promoters don’t take care with their quality of productions and the services lended we are giving strong arguments to those who have a bias against electronic music.

If we want to really diminish the bias that some people who don’t know the scene have, we need to do several actions to create positive examples, so they could see the truth of all the qualities of this musical genre.

 

 

 

Any news you want to share with us? 

R: The team of our label Tattva Music, is very happy because we could finally develop our app for mobile phones and tablets, in 15 days it’ll be available for everybody to download. this is going to make much easier our work, to be in touch with the people who love our work. This is very important for the artists who work with us, because their work will be more known, it’s also good for who enjoys electronic music as well, because know they will keep knowing about all our novelties.

tattvamusic.com/artists/forza

soundcloud.com/forza

facebook.com/forzamusic

35372_468285852925_77135_n

djforzabookings@gmail.com

tattvasounds@gmail.com

Interview: Caio Uehara Hasegawa 

blog.scapes.com.br/musica/


Español

Así como fue abordado en la materia Boom de la Música Electrónica , vemos cada vez más a la e-music rompiendo barreras y siendo difundida por el mundo entero. Existen personas que poseen un instinto más colectivo y por eso siempre intentan hacer más, buscando soluciones para los problemas y visualizando un bien mayor. Octavio Rojas, mejor conocido como Forza, es una de esas personas, el fue considerado el Mejor DJ de Techno en México, es responsable por la disquera Tattva, está siempre en busqueda de expandir su música y estrechar las distancias entre los más diversos países siempre con la intención de contribuir para la evolución de este sector.
Mexico-flag183341_10150193518597926_7407989_n2

Entrevista:

mejor forza¿Como fue el inicio de tu carrera? ¿Tuviste apoyo de la familia y los amigos? ¿Cuales fueron las mayores dificultades?

R: Todo inició cuando comencé a escuchar y disfrutar de la música electrónica, cuando tenía unos 19 años, iba para todos los raves y clubs que podía, y comencé a vislumbrar la importancia de esto en mi vida, el significado de la música para mi, hasta que decidí volverme DJ. Lo más difícil fue comenzar, dejé un buen trabajo por este sueño y mi familia estaba preocupada.

Comenzando no tenía ningún apoyo de mis padres, pero tampoco lo pedí, por que creía que esto era algo que debía hacer sólo aunque cuando ellos percibieron que realmente estaba teniendo resultado en mi nuevo trabajo y que realmente me estaba esforzando las cosas cambiaron.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2386_66598772925_9749_n¿Cuales fueron las mayores influencias para tu formación musical? Tanto de artistas como de estilos diferentes.

R: Crecí con la música de Depeche ModeKraftwerkPink Floyd, los BeatlesLed Zeppelin,  The Cure, todo esto era lo que mi familia escuchaba y fueron las primeras influencias musicales en mi vida. Desde niño siempre me gusto mucho lo electrónico New Order  fue uno de ellos. Todavía considero a Nobuo Uematsu , compositor de la música del juego  FInal Fantasy, una de mis mayores influencias en la vida.

¿Crees que puedas recordar cual ha sido tu mejor presentación?Você conseguiria se lembrar de qual foi a sua melhor apresentação? ¿Que pasa opr tu cabeza de ver a todo el publico vibrando con tu música?

R: Con toda certeza fue el Universo Paralelo, la sexta edición, se me pone la piel chinita de acordarme.

 

2386_66598972925_7760_n

¿Si pudieras escoger tu mejor producción en tu opinión cual  sería?

R: A pesar de haberla hecho hace algún tiempo, y actualmente estar  produciendo otra linea de música Me Encanta Dios es la que ha tenido  la mayor respuesta del publico, al cual le gusto mucho y hasta hoy se          acuerdan, fue hecha en el año 2004 y aún hay gente que me la pide para  tocarla.

¿Tocas algún instrumento musical?

R: Piano

¿Recuerdas algún episodio curioso?

R: ¡Hijole! Varios, uno de los episodios más chidos fue cuando fui a tocar al estado de Pará, la banda allá era super “Fullonera” (Les gusta la vertiente de High BPM – Full On.) Yo llegue tocando Techno y Tech house, me tarde unas dos horas en conseguir hacer que la pista bailara y que reventara el dancefloor, después la gente vino a decirme, ¡Carnal! No me gusta el techno pero me gustó mucho tu trabajo. Felicidades. Al siguiente año que fui a tocar allá ya les gustaban mucho más estos estilos y muchos me dijeron ¡Carnal, tu abriste aquí la cabeza de mucha gente”, musicalmente hablando. ¡Esto no tiene precio!

253840_10150322448427926_5904472_nSi tu pudieras escoger alguien con quien trabajar quien sería?

R: BTDepeche ModeLila DownsNobuo UematsuSimon Posford

¿Que es lo que escuchas generalmente después de horas y horas de música electrónica? 

R: Me encanta el Reggae, me gusta mucho Cultura ProféticaNatiruts, tambien me gusta el Ska, ¡El trabajo de Ska-p es muy bueno! me gusta también el sonido Indio, de la música del YogaRussill Paul e Snatam Kaur, son algunos de mis artistas favoritos en esta linea.

Cita un artista por el cual tengas profunda admiración tanto del lado personal como del profesional. 

R: Soy súper fan del trabajo de Lila Downs, ella no es productora de e-music, pero es una de las nuevas cantantes que está teniendo éxito en México. Hay muchas personas en el mundo entero interesadas en la cultura Mexicana gracias a su música, y también por su historia de vida. Lila es hija de una India Zapoteca y de un americano, o sea alguien que creció entre dos mundos tan diferentes, y por lo mismo tiene una introspección de ellos que es única y lo expresa muy bien y te hace reflexionar, ella es alguien con quien ciertamente siempre soñé trabajar.

¿Algún productor que nos recomiendes para escuchar?

R: Diaztech (soundcloud.com/technologicdj) esta produciendo muy buena música ¡Escuchenla!

 ¿Que piensas de el prejuicio de la sociedad con la escena electrónica? ¿Que podríamos hacer para controla esta situación? 

R: Pienso que la sociedad siempre ha sido y siempre será prejuiciosa, infelizmente es parte de la condición humana. Cuando una persona tiene una creencia, ella va a procurar todo lo que pueda reforzar sus pensamientos y credos. Si las personas no se comportan en las fiestas, no cuidan de la naturaleza, del cuerpo y de la mente, si la seguridad dada al publico, los cuidados de la calidad de la producción de las fiestas y lso servicios prestados, nosotros mismos estamos dando fuerza a esos argumentos prejuiciosos de la sociedad.

Si quisieramos realmente disminuir el prejuicio de las personas, que no conocen la escena y toda esta cultura, necesitamos realizar muchas acciones y crear ejemplos positivos, para que puedan vislumbrar de verdad todas las cualidades de este genero musical.

¿Existe alguna novedad llegando, algo que puedas contarnos? 

R: El equipo de nuestra disquera, la Tattva Music, está muy feliz pues finalmente conseguimos desarrollar nuestra app para celulares y tablets, en 15 días estará disponible para todo el mundo. Eso va a facilitar mucho estar en contacto con la gente que disfruta nuestro trabajo. Esto es muy importante para los artistas que trabajan con nosotros, pues el trabajo de ellos va a ser más conocido y es bueno para quien disfruta de la música electrónica también, pues ahora van a saber de todo lo nuevo que estuviesemos lanzando.

tattvamusic.com/artists/forza

soundcloud.com/forza

facebook.com/forzamusic

35372_468285852925_77135_n

djforzabookings@gmail.com

tattvasounds@gmail.com

Entrevista por: Caio Uehara Hasegawa 

blog.scapes.com.br/musica/


Português

Assim como abordei na matéria Boom da Música Eletrônica (blog.scapes.com.br/musica/boom-musica-eletronica/), vemos cada vez mais a e-music quebrando barreiras e se difundindo no mundo inteiro. Existem pessoas que possuem um instinto mais coletivo, e por isso tentam fazer sempre mais, buscando soluções para os problemas e visando um bem maior. Octavio Rojas, mais conhecido como Forza, é uma dessas pessoas, foi considerado o melhor DJ de Techno do México, é responsável pela gravadora Tattva, está sempre em busca de expandir sua música e estreitar a distância entre os mais diversos países, sempre com o intuito de contribuir para a evolução deste setor.

Mexico-flag183341_10150193518597926_7407989_n2

Entrevista:

1414698_10153462768800201_1352788030_nComo foi o início da sua carreira? Teve apoio da família e dos amigos? Quais foram as maiores dificuldades?

R: Tudo teve início quando eu comecei a ouvir e curtir música eletrônica, quando eu tinha uns 19 anos. Eu ia para todas as baladas possíveis, e comecei a enxergar a importância disso na minha vida, o significado da música para mim, até que decidi virar DJ. O começo foi o mais difícil, deixei um bom emprego por esse sonho, e minha família estava preocupada comigo. No começo eu não tinha nenhum apoio e não pedi o apoio dos meus pais também, porque achava que devia me virar sozinho. Mas quando eles perceberam que eu estava tendo resultado no meu novo trabalho, e que estava realmente me esforçando, as coisas mudaram.
Quando você começou a perceber que a música era a carreira que queria seguir?

R: Isso aconteceu depois de um episódio que eu jamais vou esquecer, foi no clube Rimel na Cidade do México, onde estavam tocando Cass (beatport.com/artist/cass/1082) e Anthony Pappa (soundcloud.com/anthonypappa). No momento em que o Cass estava tocando, eu senti bem forte, no fundo do meu coração, que isto era o que eu deveria fazer da vida.

 

 

 

 

 

 

 


2386_66598772925_9749_n

Quais foram as maiores influências pra sua formação musical? Tanto de artistas como de estilos diferentes.

R: Eu cresci com a música do Depeche Mode, Kraftwerk, Pink Floyd, os Beatles, Led Zeppelin,  The Cure, tudo isto era o que minha família ouvia e foram as primeiras influências musicais na minha vida. Desde criança eu sempre curti muito o estilo eletrônico, New Order (pt.wikipedia.org/wiki/New_Order) foi um deles, e também a música dos vídeo-games. Ainda considero o Nobuo Uematsu (facebook.com/pages/Nobuo-Uematsu/25690156070), compositor da música do jogo FInal Fantasy, uma das minhas maiores influências na vida.

Você conseguiria se lembrar de qual foi a sua melhor apresentação? O que passa pela sua cabeça ao ver todo o público vibrando com as suas músicas?

R: Certeza que foi o Universo Paralelo, a sexta edição, me arrepia só de lembrar…

 

2386_66598972925_7760_n

  Se fosse escolher sua melhor produção, em sua opinião, qual     seria? 

   R: Apesar de ter feito há algum tempo, e atualmente estar produzindo        outra linha de som, minha música Me Encanta Dios é a que teve mais    resposta do público, gostaram muito e lembram até hoje. Eu a produzi        no ano de 2004, e ainda tem gente que pede pra eu tocá-la.

  Você toca algum instrumento musical?

R: Piano

Se lembra de algum episódio curioso?

R: Nossa! Vários! Um dos episódios mais legais foi quando fui tocar no     Pará, o pessoal lá era muito “full-onzeiro” (gostam da vertente do High BPM – Full On). Eu cheguei tocando Techno e Tech House. Demorou umas duas horas pra eu conseguir fazer a galera dançar e bombar a pista, depois o pessoal veio me dizer “cara! eu não curto Techno, mas curti muito seu trabalho. Parabéns!”. No outro ano que fui tocar lá, já gostavam bem mais destas vertentes e muitos me

dizer “cara! eu não curto Techno, mas curti muito seu trabalho. Parabéns!”. No outro ano que fui tocar lá, já gostavam bem mais destas vertentes e muitos me disseram, “cara! você abriu a cabeça de muitas pessoas aqui”, musicalmente falando. E isso não tem preço!

Se você pudesse escolher alguém para trabalhar junto, quem seria?

R: BT, Depeche Mode, Lila Downs, Nobuo Uematsu, Simon Posford

O que você ouve, geralmente, após horas e horas de música eletrônica?

R: Eu adoro o Reggae, gosto muito de Cultura Profética, Natiruts, também gosto do estilo Ska, o trabalho do Ska-p é muito bom! Curto muito também o som Indiano, da música do Yoga, Russill Paul e Snatam Kaur, são alguns dos meus artistas favoritos nesta linha.

Cite um artista o qual você tenha uma profunda admiração, tanto do lado pessoal como do profissional.

R: Eu sou muito fã do trabalho de Lila Downs, ela não é produtora de e-music, mas é uma das novas cantoras que estão fazendo sucesso no Mexico. Tem muitas pessoas no mundo inteiro se interessando pela cultura Mexicana, por causa de sua música, e também pela sua história de vida. Lila é filha de uma índia Zapoteca e de um americano, ou seja, alguém que cresceu entre dois mundos tão diferentes ,que consegue expressar tão bem eles, e faz você refletir. Ela, com certeza é alguém com quem eu sempre sonhei trabalhar.

Existe algum Dj/ Produtor, que você nos indicaria pra ouvir?

R: O Diaztech está produzindo muito bem! Confiram!

O que você pensa sobre o preconceito da sociedade com a cena eletrônica? E o que você acha que poderíamos fazer, para contornar esta situação?

R: Eu penso que a sociedade sempre foi e sempre será preconceituosa, infelizmente faz parte da condição humana. Quando uma pessoa253840_10150322448427926_5904472_n tem uma crença, ela vai procurar tudo o que possa reforçar seus pensamentos e credos. Se as pessoas não se comportarem nas festas, não cuidarem da natureza, do corpo, e da mente, da segurança dada ao público, dos cuidados com a qualidade de produção das festas e dos serviços prestados, nós mesmos estaremos dando força para esses argumentos preconceituosos da sociedade.

Se quisermos realmente diminuir o preconceito das pessoas, que não conhecem a cena e toda essa cultura, precisamos realizar muitas ações e criar exemplos positivos, para que possam enxergar de verdade, todas as qualidades deste gênero musical.

 

Existe alguma novidade chegando? Que você possa contar…

R: O time da nossa gravadora, a Tattva Music, está muito feliz, pois finalmente conseguimos desenvolver nosso aplicativo para celulares e tablets, e em 15 dias estará disponível para o mundo todo. Isso vai facilitar muito, para ficar mais em contato com a galera que gosta do nosso trabalho. Isto é muito importante para os artistas que trabalham conosco, pois o trabalho deles vai ser mais conhecido, é bom para quem gosta de música eletrônica também, pois agora vão ficar sabendo de tudo de novo que estivermos lançando.

tattvamusic.com/artists/forza

soundcloud.com/forza

facebook.com/forzamusic

35372_468285852925_77135_n

djforzabookings@gmail.com

tattvasounds@gmail.com

Entrevista por: Caio Uehara Hasegawa 

blog.scapes.com.br/musica/

 

 

 

Have your say